Não Tem Receita de Bolo

Essa é a Bisteka, e vocês vao vê-la bastante por aqui, pois ela tem me ensinado muito sobre a individualidade de cada cão – aspecto que quem me acompanha sabe que eu bato bastante na tecla. Pois é, a Bisteka é um desses casos bem particulares – e fofos.

Quando se trata de educação sanitária, a maioria do que se lê por aí é que os cães escolhem fazer suas necessidades LONGE do local onde eles dormem, se alimentam e bebem água, certo? Pois é, mas como eu sempre digo: você não é todo mundo, nem o seu cão. :p  No caso da Bisteka tivemos que entender que ela estava se comportando exatamente ao contrário dessa “teoria”. 

Ela tem um tapete higiênico no local onde ela elegeu como banheiro, e aos poucos estamos tentando mudar esse local para onde os pais elegeram como banheiro dela – e que fica muito próximo do local que ela elegeu. Mas não tinha jeito: algumas vezes o “banheiro” estava sujo (e alguém aí gosta de usar banheiro sujo? Eu não!) e ela preferia ir fazer suas necessidades em outro local da casa, mais afastado, onde não tinha tapete higiênico, ao invés de usar o tapete que está no local escolhido pelos pais, que fica PRATICAMENTE do lado do tapete que ela elegeu. A menos de um metro de distância, visivelmente próximo.

O que acontece é que o local eleito pelos pais para ser o banheiro da Bibs fica na sacada, um local que eles frequentam quase nada com ela, pois passam mais tempo com ela na sala e no quarto – local onde ela vai fazer xixi quando o tapete da sala (aquele eleito por ela) está muito sujo. Diante desse padrão de comportamento, e juntando ao fato de a Dori ser uma cachorrinha bem sensível, medrosa com diversos estímulos, imaginei se a possibilidade dela não usar o tapete da sacada não era JUSTAMENTE porque a família não ficava muito com ela por lá. E ela estava usando como banheiro os cômodos da casa onde ela se sentia mais segura e mais próxima da família. Então pedi para que eles passassem mais tempo com ela na sacada, treinando, oferecendo EA, brincando….. E, dois dias depois dessa orientação, adivinhem? BINGO! Recebo o primeiro recado do tapete higiênico da sacada ter sido usado. Aliás, adestrador que se preze está acostumado a receber fotos de xixi e cocô hahaha.

A Bibs é mais um exemplo do que eu costumo explicar: caes sao únicos e devem ser tratados como tal. A parte mais importante de um bom plano de treino está na anamnese e no conhecimento do Cão. A capacidade de OBSERVAR o cão, de compreender seu padrão de comportamento, de pensar em hipóteses como em uma pesquisa científica, isolar variáveis e testar para validar (ou não) essas hipóteses são etapas fundamentais de um Planejamento de Modificação Comportamental. 

E o seu cão, também é “ a exceção à regra”? Você consegue observar e identificar os padrões de comportamento dele para entao bolar estratégias de modificação comportamental? Se você ficou interessad@ sobre entender melhor as etapas da Metodologia de Pesquisa que eu uso para fazer uma boa avaliação do Cão, fica esperto, em breve vem curso aí que vou explicar em detalhes esse processo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *