Eles Entendem o que Estamos Sentindo

Notícia antiga, porém super útil: cães identificam emoções humanas baseados nas expressões faciais, é o que mostra um estudo de 2015. Os cães foram treinados para diferenciar formas geométricas (círculos e quadrados) e, ao passar de fase, deveriam diferenciar rostos felizes de rostos bravos.

O resultado do estudo aponta que foi mais fácil ensinar os cães a identificarem as faces com expressões felizes do que as das pessoas que estavam bravas, sugerindo que os cães compreendem o sentimento que há por trás daquela expressão.

Ou seja, quando você estiver dando uma bronca no seu cão e ele fugir e você pensar “ele sabe o que fez de errado”, lembre-se do resultado desta pesquisa e pergunte-se: será que ele não está apenas com medo da minha expressão facial? Ou seja, seu cão sabe que você está bravo, e ele sabe que isso é um sinal de que as coisas podem ficar ruins “pro lado” dele quando você está se sentindo assim.

MAS, será que eles estão, de fato, associando a sua bronca a um comportamento deles? Pense bem sobre isso! Até porque já existe um outro estudo que mostra que, depois de passado algum tempo, eles não conseguem mais fazer essa associação. Além de vários outros estudos mostrando que broncas (punições) podem ser bastante prejudiciais para a sua relação com o seu peludo – além de não serem uma forma muito eficientes de educá-lo.

Falarei destes outros estudos em uma próxima oportunidade aqui no Blog. Por enquanto fique com a reportagem original do estudo de reconhecimento de expressões faciais clicando AQUI. O texto é em inglês, mas tem um vídeo bem bonitinho, reparem que o cão acerta quase todas as vezes qual das duas imagens representa a pessoa feliz. Nossos peludos são realmente incríveis! =D

Cães e o Medo dos Fogos de Artifício

Este post, infelizmente, é o oposto do anterior, que falou da minha alegria no Agility. Vi hoje em um grupo sobre Border Collies do qual faço parte a triste notícia de que um cão da raça, que tem pânico de fogos de artifício, estava sozinho no quintal quando um vizinho estourou vários rojões. O cão, apavorado, quebrou e atravessou o vidro e a grade da janela, na tentativa de entrar em casa para se esconder. A proprietária ao chegar encontrou o cão todo ensanguentado e urinado, correu com ele para o veterinário e ele levou vários pontos.

E já que, infelizmente, não podemos controlar essas pessoas que não têm o mínimo de consideração pelos animais, bebês, idosos, e outros que sofrem com o barulho dos fogos de artifício, nos resta manter nossos cães protegidos!

Deixe-os sempre com acesso a um local seguro, de preferência dente os de cada: uma casinha, uma caixa de transporte, até mesmo um armário! Faça treinos de caixa de transporte com o seu peludo, ensine a ele que a caixa é “seu templo sagrado”. Isso não vai diminuir a sensibilidade do cão aos fogos, mas pode aumentar a chance dele procurar este local para se proteger e evitar que se machuque. E SEMPRE SEMPRE SEMPRE mantenha seu cão com uma coleira resistente e uma plaquinha de identificação. Se o pior acontecer e ele conseguir fugir, a chance de você tê-lo de volta é bem grande.

Já vi cães que atravessaram portas de vidro, que tentaram pular cercas com aquelas lanças nas pontas e ficaram pendurados nelas…. Não podemos prever do que um cão com pânico é capaz, portanto só nos resta prevenir: procure um adestrador que trabalhe com reforço positivo, treine e identifique seu cão! Faça o que estiver ao seu alcance para proteger o seu peludo, Já que o alcance do egoísmo humano vai longe…

Que o caso deste cão sirva de alerta para todos nós: que cuidemos bem dos nossos peludos enquanto esperamos um dia que as pessoas se conscientizem sobre os malefícios dos fogos de artifício.

Você conhece o Agility? É um esporte semelhante ao hipismo, onde o condutor guia o cão por uma sequência de obstáculos e a dupla tem que completar o percurso o mais rápido possivel e sem cometer nenhuma falta.

Neste final de semana eu e o Bali fomos fazer uma aula experimental com a professora Val Alves, e foi sensacional! Eu já tinha ouvido falar muito sobre o esporte mas nunca tive contato direto. No domingo pude comprovar que o Agility  é muito mais legal do que eu imaginava.

Uma excelente opção para quem tem cães de raças de trabalho, que precisam de um exercício físico e mental bastante intenso. Sim, é um exercício mental também, pois o cão precisa prestar atenção no condutor, para saber para onde ir, nos obstáculos, para saber de qual distância ele deve saltar por exemplo, e muito mais.

Percebi que é um esporte que aumenta ainda mais o foco do cão no condutor e a ligação entre ambos, pois é preciso muita sintonia para que a condução seja eficiente!

“O Agility só tem um porém: é viciante!”, me disse a Val. E depois da aula eu tive que concordar com ela, pois já quero saber quando vai ser minha próxima aventura com o Bali na pista! Procure um local próximo de você e vá fazer uma aula experimental. Quem sabe você e seu cão não se tornam a mais nova dupla viciada em Agility e não desfrutam de ótimos momentos juntos?

Cães Educados, Donos Felizes.

“Treinar-me não é uma opção, e sim uma obrigação.  Não é algo a ser feito apenas quando eu começar a causar problemas, e sim uma maneira de evitá-los desde o início. Ensine-me a ser o cão que você quer que eu seja.”

Nestes mais de seis anos trabalhando com animais de companhia e seus proprietários, vi inúmeros casos de pessoas que não entendiam como é que seus cães podiam apresentar certos comportamentos, ou como é que um filhote de poucos meses não obedecia quando solicitado.

Os cães vieram ao mundo para ser…… cães! Por isso eles se comportam da maneira como o fazem. Eles foram “programados” (geneticamente falando) para agir como cães. Eles não nascem conhecendo as “regras humanas de um cão de companhia”, como por exemplo: onde fazer as necessidades, o que roer – e o que NÃO roer – como brincar com você sem lhe morder – observe filhotes de uma mesma ninhada brincando, eles mordem uns aos outros!

“Ensine-me a ser o cão que você quer que eu seja.” Esse o conceito fundamental para termos o cão dos nossos sonhos: devemos ensiná-los! Compreender que, assim como as crianças, os cães não sabem o que lhes é permitido ou não, ou como eles devem se comportar em determinadas ocasiões. E é nossa função, enquanto “pais”: ensiná-los, educá-los. Simples assim.

COMO ensiná-los já é assunto para outro post. Mas é por isso que nós, adestradores comportamentalistas estamos aqui. Para, depois de MUITO estudar e aprender sobre os cães, ajudá-lo sobre a melhor maneira de educar o seu.

Semana passada dei uma palestra sobre Enriquecimento Ambiental no CONOEC 4.0 e esse vídeo fez parte da palestra, mostrando a rotina de Enriquecimento Ambiental do Pingo.

 

 

 

Ensine-me a ser o Cão que Você Deseja

image

Me treinar não é uma opção, é uma obrigação.

Não é algo que deve ser feito apenas quando eu começar a causar problemas. O adestramento é justamente para prevenir que os problemas comecem.

Como Escolher um Adestrador

image

Como escolher um adestrador

“Pesquisas indicam que os cães não precisam de punição física para aprender a se comportar, e existem riscos significantes associados ao uso de punição (como inibição do aprendizado, aumento do medo e/ou estímulo de eventos agressivos).

Então, treinadores que utilizam de forma rotineira enforcadores, colares de garra, colares de choque e outros métodos de punição física como forma primária no método de treinamento devem ser evitados.”

Sociedade Americana Veterinária de Comportamento Animal.

Cães Mensageiros

image

 Deus enviou anjos à Terra em forma de cães com um bilhete dizendo “não julgue, apenas ame”.

Os cães comeram o bilhete mas continuam tentando nos entregar a mensagem.

Muito Prazer, Pingo!

image

 

Olá AUmigos! Meu nome é Pingo e esse espaço aqui no site é para eu contar as minhas AUventuras para vocês!